Campanha visa dobrar representação do ABC

Quem é do abc vota pelo abc 2
Entidades reeditam movimento pelo voto no Grande ABC
26/07/2018
Movimento por voto nos candidatos das sete cidades já mira as eleições 2022
25/09/2018
Quem é do abc vota pelo abc 1

O movimento encabeça­do pela Associação Comercial e In­dustrial de Santo André (Acisa) que visa incentivar os eleitores do ABC a votar em candidatos locais acredita ser “factível” eleger 18 represen­tan­tes da região em outubro, dos quais 12 deputados esta­duais e outros seis federais.

Dessa forma, os sete municípios dobrariam a representação obtida em 2014, quando foram eleitos sete políticos pa­ra a Assembleia Legis­lativa e dois para a Câmara Federal.

A projeção foi feita ontem (24) pelo presidente da Acisa, Pedro Cia Junior, durante o lançamento da campanha apartidária “Quem é do ABC vota pelo ABC”, criada em parceria com a Octopus Comunicação e que tem o apoio de ao menos 42 entidades ligadas à sociedade civil, que assinaram manifesto em prol do aumento da repre­sentatividade da região nos par­la­mentos estadual e federal.

“Deputados são eleitos pa­­ra defender o bem comum, mas é natural que atuem em favor dos interesses das ba­ses em que atu­am. Porém, estamos perdendo represen­tantes a cada eleição, o que diminui nosso poder político”, disse o presidente da Acisa.

Cia Junior afirmou que o aumento da representativida­de vai depender do engajamento do ABC e passa, necessariamente, pela redução do chamado “não voto” (soma de brancos, nulos e abstenções) e do voto em “estrangeiros”, como são chamados os políticos que têm base eleitoral fora da região.

É o caso, por exemplo, dos deputados federais Celso Russomanno (PRB) e Tiririca (PR), segundo e terceiro candidatos mais votados no ABC em 2014, com 96.723 e 63.736 votos, res­pectivamente (veja quadro).

“Somente os votos dados ao Tiririca seriam suficientes, provavelmente, para eleger ao menos mais um deputado fe­deral comprometido com a defesa da região”, comentou Paulo Cesar Ferrari, presidente da Octopus Comunicação.

Ferrari lembrou que, em 2006, a “bancada do ABC” era composta de 13 deputados eleitos, mas o número caiu para 12 em 2010 e para nove em 2014.

Após o pleito de 2016, a re­­presentatividade da região diminuiu ainda mais, para seis políticos, com a cassação do mandato da deputada esta­dual Vanessa Damo (MDB) e a eleição dos também estaduais Orlando Morando (PSDB) e Ati­la Jacomussi (PSB) para as prefeituras de São Bernardo e Mauá, respectivamente.

Uso livre

A Octopus produziu material para a iniciativa (anúncios, banner, adesivo, vídeo e jingle) que poderá ser usado li­vremente pelas entidades e pe­los veículos de comunicação. A iniciativa conta também com um hotsite (www.votepeloabc.com.br) que será abastecido com informações dos candidatos da região.

“A ideia é que, ao colocar seus dados no hotsite, o candidato se comprometa a defen­der os interesses do ABC caso seja eleito”, disse Ferrari.

O movimento estuda a possibilidade de promover sabatinas com os candidatos durante a campanha eleitoral e, depois do dia 7 de outubro, cobrar sis­tematicamente os eleitos.

“A partir do momento que a sociedade civil se organiza para defender o voto em candidatos do ABC, passa também a ter o direito de cobrar os eleitos”, argumentou o vice-presidente da Acisa, Evenson Dotto.
Associações comerciais, entidades de classe como Ciesp (indústria) e Crea (engenharia e arquitetura), clubes e sindicatos patronais como Sinduscon (construção civil) e Setrans (transporte), entre outras ins­ti­­tuições, apoiam a campanha.

Fonte: Diário Regional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buy now